Hoje é seu passado e futuro


Parece fácil quando se escuta certos ditos, pensar que tais farão de você uma pessoa melhor se fizeres o que eles dizem. Minha briga momentânea é simplesmente conseguir realizar o tal “fazer”. Um deles, diz que você tem apenas o “hoje”! Vou explicar. Certos budistas disseram que é simplesmente inútil sofrer com o passado, bem como se preocupar com o futuro. Se pensares bem, faz total sentido, pelo menos é o que me parece. Veja bem, o que você fez ontem? Foi algo ruim ou bom? Independente da resposta está feito. Não tem como mudar, mesmo que pareça uma situação contornável. Enquanto na vida real não aparece nenhum Emmett Brown ou Marty McFly criados por Steven Spielberg no clássico “De Volta para o Futuro”, nada será alterado. E se tivéssemos que dissertar sobre o futuro? Bom, nesse caso mudamos um pouco o rumo prosa e talvez algumas atitudes do presente te façam pensar que o seu futuro é moldável. Errado! Infelizmente o nosso futuro não depende só de nós. Trabalhe, estude, faça o que quiser, o seu futuro depende de diversas interações com outras pessoas que talvez nem mesmo saibam o que é futuro, mas de alguma forma podem influenciar o seu. A teoria do caos explora com bravura essa parte futurística das minhas ideias. Os efeitos borboletas que tanto te falaram são diversamente usados como exemplos para dizer o que o seu futuro não está apenas nas suas mãos. Está nas minhas quem sabe. Se o bater das asas daquela borboleta puder influenciar na direção do vento, que agora soprará mais forte e te fará fechar umas das janelas da sua casa e consequentemente te atrasará para o trabalho, fazendo com que perca o ônibus de sempre e encontre o amor da sua vida no ônibus seguinte, que por sua vez que te convencerá a casar com ela e mudar de cidade, de nada serviu lutar tanto por aquele trabalho que segundo você mesmo, moldou com tanto carinho fazendo ele parte do “seu” futuro. Você vai deixá-lo. É por essas e outras que somos perfeitamente imperfeitos. Então, quem moldou seu futuro? Apenas você? Ou você e a borboleta? Acredito cegamente que a escolha da borboleta para representação da teoria do caos foi justamente pela sua fragilidade, para te mostrar que um fragilíssimo ser vivo pode acarretar mudanças vistas como impossíveis pela nossa crença. Sem te dizer no que você acredita agora, posso afirmar que aqueles budistas tinham total razão. Hoje é a sua vida!

Textos em Destaque
Mais recentes...